Aranduassu – Conceito e Histórico de seu surgimento

ARANDUASSU: origem na língua Guarani, significa Grande Conhecimento (Arandu – Conhecimento, Guassu ou Guaçu – Grande)

Esse projeto nasce no ano de 2015 e se concretiza em 2017,  no Município de Ponta Porã, por meio de uma parceria entre o Programa de Pós Graduação em Desenvolvimento Regional e de Sistemas Produtivos – PPGDRS, da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), representados pelo então Coordenador Dr. Carlos Otávio Zamberlan e pelo pesquisador Dr. Carlos Buesa Buson, com a Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS), Campus de Ponta Porã, cursos de graduação em Sistemas de Informação e Ciência da Computação, representados pelo então Diretor do Campus Prof. Dr. Amauri Castro Junior, com intuito de criar ações entre as Instituições de Ensino Superior e a sociedade para promover o desenvolvimento territorial, com foco em atividades direcionadas às escolas. A parceria gerou ideias de explorar a cultura e o folclore, a robótica (desenvolvida na UFMS), e criar sistemas de pesquisa off line, para aplicação em locais onde a internet não está acessível, como em comunidades rurais e indígenas. Tudo isso com fins de incentivar crianças e jovens a persistirem na busca de aperfeiçoamento e aprendizagem. A parceria PPGDRS e UFMS abriu campo e atualmente envolve diversos cursos de Pós Graduação localizados em distintas regiões do Brasil, não com o foco original, mas com a intenção de criação de uma rede de atividades científicas voltadas ao desenvolvimento de territórios, que pode incluir, tanto o projeto original e expandi-lo para outras regiões, como outros tantos projetos que venham a surgir e que possam ser compartilhados. Atualmente o Grupo de atores que compõem o projeto estão em fase inicial de formação para compor uma rede de aprendizagem e difusão de conhecimento e, a ação concreta está restrita a elaboração de um evento conjunto (Seminário internacional de Integração e Desenvolvimento Regional), que visa a troca de informações e a aproximação entre os atores. No entanto, a ideia é nova e passível de reconstrução e ampliação por meio da participação democrática dos atores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *